winri

Members
  • Total de itens

    26
  • Registro em

  • Última visita

  1. Gorfeiros, Qual os postos que tem PODIUM geralmente com preço menos caro? =) Eu moro pro lado SUL e acabo abastecendo no SUDOESTE, ali, "perto" do terraço. Tem algum canto que o assalto seja menor? Abraços.
  2. Maior Quilometragem / Vida útil

    Ótimo, ótimo, obrigado pelas opiniões. Meu Golfo tá com 120 mil, é um 13/14 alemão manual. Comprei com 32 mil rodados, em agosto de 2015. A embreagem tá precisando trocar, e, em breve realizarei. A bateria também vou trocar agora.. Eu tava pensando, se já vou ter tanta coisa de manutenção, às vezes vale a pena trocar de carro. Mas, realmente, poucos carros nos dão os equipamentos do golf, ainda mais que estou mal acostumado, o meu é o Alemão highline, tem bastante coisa. Vou segurar minha onda, fazer a manutenção direitinho, e vamos rumo aos 200.000. Não tô a fim de injetar uns 40k pra comprar um compatível 2 anos mais novo...
  3. Golfeiros e Golfeiras! Qual é o golf ancião do grupo (maior quilometragem)? Qual é a durabilidade média de um carro desses? É feito pra durar quantos mil km? Explicando: Vira e mexe fico pensando em opções de troca, afinal , a manutenção não é barata, e com o tempo de uso, o desgaste aparece. Até quando vale a pena manter o carango? Abraços!
  4. mesma coisa aqui. tenho que desativar o bluetooth do celular, ouvir o audio.. depois sincronizar de novo e continuar ouvindo minhas musicas.. um saco.
  5. Esse 1.0 automático por 90.000 seria uma possibilidade? Como andam as opções?
  6. E a dúvida continua. Hoje li que tão querendo subir o percentual de etanol na gasolina pra 40%. Eu nao abasteco de podium.. e nao quero lascar meu motor.. ô vida. o meu não é Frékis
  7. Fiz esse post em uma galáxia distante em um passado muito muito longe, mas a minha dúvida ainda é a mesma. Pesquiso carros sempre, me informo sempre... E não sei qual carro eu pegaria na troca do meu Golf. Tenho um Alemão 13/14 manual, highline.. virou 100.000 semana passada, sem alterações, só alegria. Cogitei o COMPASS por ser 100.000 mas desisti. Olhando um Renegade Diesel usado por 95.000 e não sei.. Kicks é manco e o top custa 102.000 Volvo v40 eu acho lindo.... Bmw 320 acho lindo... Meca c180 tbm acho linda...
  8. [VENDO] SpeedBuster + GasPedal

    Qual o preço dos produtos novos, se for comprar na loja?
  9. Downpipe x Catalisador original

    Me adiciona no whats, tenho interesse. =) 61 9 8 1 3 5 dezenove 21
  10. Whatsapp

    ja tem link pro grupo? 61 9 8 1 3 5 1921
  11. Minha pergunta tem enfoque também no pacote de equipamentos. O meu é Highline alemão e não vejo opções interessantes de equipamentos e preço..
  12. Caros, ando pesquisando outros carros mas nunca acho um pacote tão completo de equipamentos. Quais são os carros que vocês veem como próxima aquisição? Abraços.
  13. Concessionárias VW no Distrito Federal

    Boa noite! Pesquisei um pouco na internet e a oficina parece não ter estrutura boa. Além disso fica localizada na Ceilândia, é isso mesmo? Abraços. Tem alguma recomendação pelo lado do Plano Piloto?
  14. Negativo, recebi direto de alguns policiais.
  15. NOTA TÉCNICA Nº 4/2016/DFTT/CGO PROCESSO Nº 08650.016114/2016-02 NR SEI 1943746 INTERESSADO: DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DE TRÂNSITO E TRANSPORTE ASSUNTO Fiscalização do Uso do Farol Baixo durante o dia nas Rodovias e túneis providos de iluminação pública. Alteração do Código de Trânsito Brasileiro - CTB advinda com a Lei nº 13.290/2016. REFERÊNCIAS ESTABELECIMENTO DE PROCEDIMENTOS DE FISCALIZAÇÃO DO FAROL BAIXO E DRL (FAROL DE RODAGEM DIURNA - Daytime Running Light). LEI Nº 13.290/2016. MANUAL DE FISCALIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DOS SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO E SINALIZAÇÃO. ANÁLISE Considerando a publicação da Lei nº 13.290/2016, que alterou o Código de Trânsito Brasileiro, em seus artigos 40, I e 250, I, b), de modo a tornar obrigatório o uso do Farol Baixo, durante o dia, nas rodovias. Considerando os questionamentos e dúvidas do efetivo da Polícia Rodoviária Federal sobre como proceder a fiscalização com o advento dessa inovação legislativa. Considerando o claro objetivo da norma de estabelecer obrigação de utilização do farol de luz baixa para aumentar a intervisibilidade no tráfego de veículos e pedestres no período diurno, colaborando com a redução de acidentes de trânsito. Considerando que a alteração legislativa transforma a recomendação de utilização dos faróis de luz baixa durante o dia nas rodovias em obrigação, sem considerar, entretanto, a evolução tecnológica dos veículos e os dispositivos já criados e homologados para cumprir com a necessidade pretendida pelo legislador. Considerando que o farol de luz baixa tem por objetivos a iluminação da via diante do veículo, proporcionando a visibilidade do motorista na sua condução, e a sinalização do veículo, para ser visto pelos demais usuários da via, contudo, a finalidade e obrigatoriedade de utilização somente se dava no período noturno, onde há restrição natural de visibilidade. Considerando que a utilização do farol de luz baixa no período diurno, com o objetivo primordial de sinalizar aos demais usuários, provocará uma mudança significativa no comportamento dos motoristas. Considerando que a Resolução do Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN nº 227/2007 prevê que os veículos podem ser equipados com Faróis de Rodagem Diurna (DRL – Daytime Running Light), que são faróis voltados “para a dianteira do veículo a fim de torná-lo mais facilmente visível quando em circulação no período do dia” (Item 2.2 do Anexo 14 da Resolução do CONTRAN nº 227/07 – grifo nosso). Considerando que os Faróis de Rodagem Diurna já cumprem a função de fazer com que o veículo seja mais facilmente visível durante o dia, inclusive com amplas evidências, em estudos internacionais, de sua eficácia no aumento da segurança ao trafegar em rodovias. Como exemplo desses estudos, podemos citar “A Review of Daytime Running Lights”, publicado pela RACV em 2003. Considerando o princípio da razoabilidade que rege os atos praticados pelos servidores públicos. Considerando questionamento encaminhado ao CONTRAN sobre a possibilidade de utilização do DRL em substituição ao farol de luz baixa, durante o dia, conforme processo nº 08650.014963/2016-13. Sendo assim, até manifestação formal e definitiva do Órgão Máximo Consultivo e Normativo de Trânsito, deverão ser seguidos os seguintes critérios na fiscalização da obrigatoriedade trazida pela Lei nº 13.290/2016: O uso do farol baixo durante o dia será obrigatório nas rodovias (vias rurais pavimentadas), mas não nas estradas (vias rurais não-pavimentadas); Entende-se por via rural pavimentada todos os trechos de rodovia, incluídas as que transpassam perímetro urbano; Em veículos providos de Faróis de Rodagem Diurna (DRL – Daytime Running Light), durante o período do dia, caso o DRL esteja funcionando, e cumprido os requisitos estabelecidos pela Resolução nº 227/07, o mesmo deverá ser aceito pela fiscalização. Ou seja, durante o dia, o uso do DRL supre a função do Farol Baixo; O uso simultâneo do Farol Baixo e do Farol de Neblina não é considerado infração de trânsito. Contudo, o uso apenas do farol de neblina durante o dia, sem o acionamento do farol de luz baixa nas rodovias e túneis com iluminação pública deverá ser enquadrado no art. 250, I, b do CTB, sob os códigos de infração 72422 e 72421, conforme o caso; e Consideram-se alteração no sistema de iluminação as adaptações realizadas para que o veículo tenha o acionamento somente dos faróis de luz baixa quando da ignição do veículo, sem que sejam acionados em conjunto com as luzes de posição. DISPOSIÇÕES FINAIS O disposto na presente Nota Técnica vincula todos os policiais rodoviários federais no exercício de suas funções. As determinações da presente Nota Técnica passam a vigorar a partir do dia 08 de julho de 2016. Os casos omissos devem ser encaminhados a esta Divisão, para avaliação. Brasília/DF, 4 de julho de 2016. A.F.G.B. (Ocultado pelo autor da postagem) Chefe da Divisão de Fiscalização de Trânsito e Transporte