1. Thiagocs

    Thiagocs

  2. CaUtz

    CaUtz

  3. anghinoni1982

    anghinoni1982

  4. RodrigoSP2

    RodrigoSP2

  5. Bereba

    Bereba

  6. Sobrinho

    Sobrinho

  • Conteúdo Similar

    • Por Brunomri
      Boa noite, amigos!
      Neste tópico venho contar a vocês a grande decepção que tive com a oficina High Torque de Campinas - SP, na qual realizei vários serviços desde o ano passado e estava bastante satisfeito com o atendimento até o acontecimento que venho a relatar. Antes disso, vou descrever o meu histórico de serviço com eles, explicando os pontos positivos e negativos que observei no serviço. Como a empresa em questão é muito procurada por quem busca um serviço melhor que a concessionária, espero que o tópico ajude aqueles que pensam em fazer manutenção com eles avaliar se a oficina atende às expectativas ou não. Sem mais delongas, para dar credibilidade ao tópico, agora vou enumerar os serviços que fiz com eles.
      Instalação de molas esportivas (Junho 2017) Quem acompanhou minha saga em suspensão esportiva deve se lembrar que em junho do ano passado comprei um jogo de H&R Sport para substituir as VW Driver Gear. Como não gostaria de ir até São Paulo para fazer a instalação, e tinha a informação de que uma franquia da High Torque tinha aberto há pouco tempo em Campinas, decidi ligar para fazer um orçamento. O valor inicial que me passaram foi de R$650, achei muito caro e chegamos num acordo de R$450 reais à vista. Então assim ficou combinado, e no dia seguinte fui acompanhar o serviço pessoalmente. Fiquei muito satisfeito com o nível técnico, calma e atenção dos dois mecânicos que estavam trabalhando no meu carro. Durante o desmonte das molas a serem retiradas, um deles me chamou para alertar que o instalador anterior havia colocado os calços das molas traseiras na posição errada. Instalação essa que tinha sido feita na famosa oficina e preparadora "Premium" AvantGarde, no Morumbi, por R$350 reais. Além disso, na High Torque eles usaram torquímetro digital e seguiram os valores de torque e ângulo que havia fornecido para a fixação dos amortecedores. Resumindo, saí de feliz com a certeza de um dinheiro bem gasto em um serviço bem feito.
      Troca das pastilhas dianteiras (Outubro 2017) No segundo semestre do ano passado, acendeu o aviso no painel de que as pastilhas dianteiras estavam acabando. Então eu comprei as pastilhas originais online e combinei de fazer a troca na High Torque, por R$ 100. Logo após desmontar as rodas, o mecânico me mostrou os discos tinham ondulações e que o mais correto seria fazer a retífica antes de instalar as pastilhas novas. Recusei por ser uma despesa adicional de 200 reais. A troca das pastilhas entçao foi feita e o freio estava muito bom em seguida, mesmo sem a retífica.
      Diagnóstico e resolução de falha eletrônica (Março 2018) Logo após a primeira instalação de molas esportivas, ainda em 2016, meu carro acendia intermitentemente luzes de painel e vários sistemas eletrônicos ficavam desativados. Não funcionavam:
      ABS ESP Controle de tração Assistência de direção Sensores de estacionamento Auto Hold Depois de pedir para a concessionária resolver o problema durante as revisões, sem sucesso, resolvi consultar a High Torque para investigar o problema. Então um dia liguei para conversar com o gerente, expliquei o que acontecia e enviei fotos das luzes de painel acessas. Ele me disse que era muito difícil fazer um orçamento preciso para este tipo de problema, pois não se sabe quantas horas trabalhadas o diagnósticos vai demandar e nem quais compenentes precisarão de troca ou reparo. Disse que compreendia o ponto dele, mas por outro lado não posso simplesmente entregar o carro lá sem ter a mínima ideia de quanto vai custar o valor final. Chegamos a um meio termo, eu pagaria um máximo de R$800 de diagnóstico e ao final seria informado exatamente qual a solução e seu custo.
      Aí começaram os problemas, após deixar o carro na oficina, perguntava ao diariamente ao gerente sobre novidades no diagnóstico. Havia deixado o carro lá numa segunda-feira, na quinta-fiera eu perguntei sobre o progresso do diagnóstico, pois gostaria passar na oficina no final da tarde para retirar o carro e usá-lo no fim de semana. Após alguns instantes de silêncio, o gerente me disse que o meu carro não estava na oficina. Ele havia levado o carro a um "parceiro" especialista em falhas eletrônicas para realizar alguns testes com peças de um Golf idêntico ao meu. Então perdi a paciência e disse que em nenhum momento eu autorizei a saída do carro da oficina High Torque! Disse que era dever dele me ligar para pedir autorização! Em seguida ele me pediu desculpas e alegou não existe oficina especializada em tudo, em algumas ocasiões específicas ele tem de recorrer a algum terceiro. Enfim, eu disse para seguir o diagnóstico e se isso for necessário novamente, que me informe com antecedência.
      Desta forma, busquei o carro na sexta, passei o fim de semana com ele e na segunda entreguei ele mais uma vez na oficina. Pois bem, na quarta feira da segunda semana de serviço, o gerente me liga dizendo que o problema está resolvido. Não havia nenhum componente danificado, mas alguns módulos estavam desconfigurados. Fizeram a reprogramação com os parâmetros de fábrica os defeitos foram corrigido e as falhas desapareceram. Porém, o combinado não foi cumprido por parte do gerente. Eu não fui previamente informado do diagnóstico, o reparo foi realizado sem o meu consentimento. O orçamento não me foi fornecido, então após receber o carro consertado ele me informou que o valor do serviço era R$2000. Fiquei bastante contrariado, argumentei que o combinado não era esse, e a resposta do gerente foi que "Às vezes a gente precisa tomar a frente, pra garantir que o reparo será feito. Se toda hora eu parar pra te ligar pedindo autorização, o reparo não prossegue". Não achei razoável essa resposta, mas mesmo assim concordei em pagar pelo serviço. Mesmo com esse incidente, ainda considerei a oficina para uma manutenção futura dada a competência técnica que tiveram até o momento.
      Troca das pastilhas traseiras, fluído de freio, líquido de arrefecimento, investigação de buchas e ruído de rolamento (Agosto 2018) Enfim, chegamos ao serviço em questão. As pastilhas e as buchas eu já tinha comprado anteriormente. Liguei para a High Torque Campinas para fazermos um orçamento de:
      Troca das pastilhas dianteiras Investigação das buchas da bandeja dianteira Investigação de ruído de rolamento Antes de deixar o carro lá, já tinham me informado que a troca das pastilhas era R$100 e a troca do fluído era R$160 (fluído R$60 e R$100 de mão de obra). Após subir o carro no elevador, me informaram que os diagnósticos pedidos requeriam desmontar peças e dirgir o carro, seu custo combinado seria de R$150. Esses serviços então totalizavam $410 reais.
      Porém, na terça-feira o gerente me ligou dizendo que o aditivo de arrefecimento estava com baixa concentração, cerca de 25%, e que o reservatório estava sujo. Ele me informou os valores, a limpeza do sistema de arrefecimento era R$250, o aditivo fornecido por ele era R$100 e a água destilada era R$20, totalizando R$370 para este serviço. E o total de todos os serviços ficou em R$780.
      No entanto, antes de concordar com esse serviço de limpeza do sistema de arrefecimento. Eu perguntei qual era a especificação do aditivo que ele tinha disponível, ele me disse que era um Havoline Xtended Life G12+ que atende à norma VW/Audi TL 774 Type F. Acontece que eu não estou familiarizado com a troca do líquido de arrefecimento da mesma maneira que a troca de óleo. As especificações são desconhecidas por mim, não tenho experiência no assunto. Como o carro estava na oficina, pedi ao gerente que verificasse no manual qual era a especificação homologada. Então ele consultou o manual e me disse "No manual é G13 ou G12++". Ou seja, o aditivo que ele tem não é homologado, não é o correto para o Golf.
      Só que, por conta dessa nomenclatura confusa, eu não me atentei que existem dois tipos de aditivo G12: G12+ e G12++. Então acidentalmente eu concordei em adicionar o G12+, pensando que existia apenas um G12. Desculpem a minha ignorância, mas quando vi G12++ pensei até que fosse erro de digitação. Na minha visão, estavam colocando um G12 homologado no manual quando na verdade não era. O gerente sabia que eu estava enganado, que não tinha entendido a nomenclatura, e deixou seguir a aplicação do aditivo errado. Como vocês podem perceber lendo acima, eu já tinha feito vários serviços anteriores na High Torque, o gerente me conhece e sabe que eu sigo à risca o manual, somente levo peças originais para as manutenções. Eu nunca compraria um aditivo incorreto se eu posso ir até a concessionária e comprar um G13 e levar para ele aplicar. Afinal, quem pede para consultar o manual e depois aceita a aplicação de um aditivo errado? Não faz sentido nenhum! Na minha visão, o gerente foi propositalmente omisso para me vender o aditivo que ele tinha disponível. Pela própria confiança que a High Torque me transmitiu nos serviços anteriores, nunca passou pela minha cabeça que o gerente aceitaria colocar um aditivo fora da especificação. A grande falha na minha opinião, foi o gerente não ter explicitamente me informado que aquele aditivo não atende à especificação. E a seguir vem a parte na qual discordo profundamente de como o gerente conduziu a situação.
      No dia seguinte, sem desconfiar de nada, busquei o carro na oficina e paguei os R$780 reais. Quando cheguei em casa, abri o manual para ler a seção de arrefecimento e verificar qual a especificação correta do aditivo. Para a minha surpresa, vejo lá que aditivo correto é o G13, inclusive o G12++ é indicado apenas para completar. O G12+ é somente mencionado que não deve ser misturado ao G12++ ou G13 podendo causar corrosão. Inclusive tem uma ressalva dizendo que no caso de ser preenchido um aditivo incorreto, este deve ser imediatamente substiuído para evitar danos graves ao motor. Agora munido desta informação, liguei para o gerente em busca de uma solução.
      Quando questionei a especificação errada, ele alegou que respondeu às minhas perguntas e aplicou o aditivo pois eu tinha concordado. Eu argumentei que não sou eu que tenho que dar a palavra final em especificações de produtos, o manual estava com ele e o carro sob sua responsabilidade. Disse que eu não tenho familiaridade com essas especificações, que se na hora eu tivesse entendido que o produto dele não atendia à especificação, eu não teria feito o serviço. Disse também que pelo histórico de serviços que realizei e pela reputação da oficina, nunca imaginei que o gerente concordaria em utilizar um produto incorreto. Ele se limitava a responder para eu reler as mensagens que ele me mandou informando a especificação que estava no manual e a especificação do aditivo que ele tinha. Continuei minha argumentação dizendo que ele não foi transparente, como ele vai me garantir que isso não traz problemas pro meu carro no longo prazo? Dei um exemplo, se um cliente chegar lá pra trocar o óleo e não tiver a especificação correta, ele iria trocar? Por último, disse que se eu me contentasse com uma oficina que não desse nenhum tipo de orientação, eu levava na concessionária. Quando terminei de falar, ele disse "Bruno, já foi". Aí eu perdi a paciência e levantei a voz ao telefone "Já foi não! Você só fala isso porque o carro não é seu".
      Por fim, propus a minha solução, que seria eu levar pra ele o aditivo G13 e ele refazer o serviço com mão de obra gratuita e me pagando o valor do aditivo. Ele recusou, disse que o máximo que ele poderia fazer era me dar a mão de obra de graça caso eu comprasse o aditivo pra ele refazer o processo. Terminei a ligação dizendo que iria pensar.
      Depois, trocamos algumas mensagens, na qual eu perguntei sobre o que poderia acontecer com o carro rodando nesse aditivo errado, se ele me garante que vou ter algum problema. Ele disse que acha muito difícil causar algum problema, mas que garantir ele não pode. Falou que todos os serviços da High Torque têm no mínimo 3 meses de garantia. Também se o líquido de arrefecimento ficar escuro ele refaz o serviço sem custo nesse período. Como ele não aceitou a minha proposta de solução, lamentei e disso que isso foge muito à política de combater "empurroterapia" que a marca divulga, pois parece uma concessionária nesse aspecto. Também falei que não levarei meu carro lá novamente, e que a minha opinião sobre a High Torque será negativa no meu círculo de amigos, familiares, no fórum do Golf MK7 Brasil no qual sou usuário avançado com mais de 900 posts e em qualquer outra comunidada automotiva em que faço parte.
      Espero que este aditivo fora da especificação não me cause problemas, mas o que me incomoda mais é a omissão e o oportunismo.
      Encerro assim a minha resenha com uma recomendação para o leitor. Só leve o seu carro nesta oficina se você já souber exatamente os serviços que deseja fazer, já possua as produtos necessários ao reparo ou então tenha conhecimento amplo sobre as especificações e procedimentos de manutenção do seu carro. No aspecto de transparência e atendimento ao consumidor, não é muito diferente de uma concessionária. Não deixa o renome da empresa baixar sua guarda, esteja vigilante e desconfie de tudo. Se este não for seu perfil, apenas entregue o carro lá e não questione nada para evitar aborrecimentos. Na retirada, pague a conta, saia dirigindo e seja feliz!
      PS: Se alguém entender de arrefecimento, me informe se eu posso continuar usando esse G12+ ou não. Obrigado!
       
       
       
    • Por André Mota
      Eu normalmente escuto minhas músicas conectando meu celular ao som do carro via bluetooth. Entretanto, às vezes, a reprodução das músicas apresenta falhas (tipo um CD arranhado). Mesmo desconectando o aparelho e reconectando-o, o problema persiste.
      Isso acontece de forma intermitente e ainda não consegui perceber o que pode causar esse problema. Já tentei observar, por exemplo, se acontece quando a bateria do celular está acabando (imaginei que o sinal do bluetooth pudesse ficar mais fraco e comprometer a conexão), mas em várias ocasiões o som funcionou normalmente, mesmo o celular estando com bateria fraca.
      Alguém tem ou já teve esse mesmo problema?
    • Por Brunomri
      Olá pessoal
      Há muito tempo comentei em um tópico que após a instalação de molas esportivas, luzes do painel do meu carro se acenderam indicando falhas de muitos sistemas. Logo quando liguei o carro para sair da oficina naquela ocasião, as luzes acenderam. Após algum tempo andando com o carro elas apagavam, depois voltavam a acender, de maneira intermitente. E quando o problema se manifestava, os sistemas do ABS, ESP, assistência de direção, auto-hold, piloto automático, sensores de estacionamento e monitoramento de pressão dos pneus deixavam de funcionar.


      O mais intrigante no começo era que por serem falhas intermitentes, eu descartei a hipótese de que alguma peça foi danificada. Na minha imaginação, se algo estivesse danificado as falhas seriam permanentes. Como as luzes não acendiam com tanta frequência, adiei a solução do problema numa frustrada expectativa de que o carro se adaptaria sozinho ao novo conjunto de suspensão e que as falhas desapareceriam após algum tempo. Inclusive pedi para a concessionária investigar o problema durante uma revisão, mas eles se limitaram a resetar as falhas via scanner, sem procurar pela causa do problema.
      Porém, nos últimos meses as falhas aconteciam diariamente, durante quase toda a distância dos meus trajetos. Maioria das vezes essas luzes acendiam ao manobrar pra sair da garagem e continuavam até desligar o carro na próxima parada. Então decidi procurar numa solução definitiva (espero) para o problema. Deixei o carro para análise em uma oficina de confiança, lá encontraram muitos códigos de erros ao escanear o carro.

      A partir desses códigos, a principal suspeita era o módulo ABS. Em seguida eles buscaram um outro Golf para fazer experimentos com a peça. Se entendi corretamente, colocaram o meu módulo de ABS no outro carro para verificar se as falhas também apareceriam nele.

      Como não apareceram, isso indica que o módulo ABS não está com defeito. Com essa informação eles decidiram fazer a reprogramação deste módulo e dos outros que estavam envolvidos com os erros. E isto funcionou, após a reprogramação as falhas sumiram o carro voltou ao estado anterior aos problemas.
      Todo este serviço demorou quase duas semanas, principalmente pelo fato de buscarem um outro carro para experimentar a minha peça. Minha opinião de leigo, seria mais fácil reprogramar primeiro e ver se desapareceram as falhas? Caso não desse certo, aí sim fazer os experimentos num outro carro. Não sei se vale a pena pensar nisso agora que o problema está resolvido e o serviço pago.
      Espero que seja útil caso alguém tenha um problema parecido. Não consegui encontrar casos similares aqui nem no outro fórum internacional que participo.