iCardeX

Members
  • Total de itens

    2150
  • Registro em

  • Última visita

  • Days Won

    149

iCardeX last won the day on January 18

iCardeX had the most liked content!

7 Seguidores

Sobre iCardeX

  • Rank
    Advanced Member

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    DF
  • Interests
    Viajo e vivo por aí....

Últimos Visitantes

4208 visualizações
  1. Golf Mk 8

    A alcunha do Golf 4,5, nesse intervalo todo, era Golfssauro.
  2. O que a VW tem na cabeça?

    Já pensou se essa folha de papel não suportasse a temperatura dentro do cofre do motor? Para uma folha A4 entrar em combustão é a coisa mais fácil do mundo. Nunca eu faria uma coisa dessas.
  3. Fim da produção Golf Confortline e Highline no Brasil

    O Focus teve a imagem extremamente desgastada com os problemas alavancados com o câmbio PowerShift. É incrível como os fatos ganharam uma proporção estúpida para determinar a tomada de decisão dos consumidores. Conheço ao menos umas 5 pessoas que se livraram do Focus e do Fiesta por conta da intervenção do Procon. Foi só receberem a cartinha da Ford notificando-os sobre o aumento de garantia do câmbio para correrem e venderem logo os seus veículos. O Golf, outro que vem desapontando nas vendas, também não está com a imagem ilesa. Perdeu o freio eletrônico, a suspensão multilink, perdeu o DSG, ganhou um motor mais simplificado. Não negociaram a segurança, ainda assim, aumentaram-se os preços. A cada dia a fama da fragilidade do DSG TSi se espalha pela internet e oficinas e a VW nada de se pronunciar oficialmente. Uma rápida passada lá no ReclameAqui já dá para ter uma noção da quantidade de problemas recorrentes a esse câmbio. Frequentando oficinas da rede autorizada cansei de verificar Golfs DSG parados à espera a troca do câmbio. Neste fórum aqui são inúmeros os casos de proprietários que decidiram vender o veículo por conta do medo com a garantia, e os custos astronômicos de peças de reposição. Essa história de "trocar o câmbio" em forma de cortesia (fora os até R$ 2.000,00 da mão de obra), mesmo depois da garantia, não foi suficiente para acalmar os ânimos. O Cruze está vendendo até que bem e ainda não acumula histórico de problemas conhecidos. O que a Ford não divulga claramente é que ela pratica uma tabela diferenciada de desconto para clientes Pessoa Jurídica: varia de 9% a 23% dependendo do modelo. Palmas para a Ford que vende o Hatch que o brasileiro quer comprar: começa com o acabamento incrivelmente espartano e o duplo airbag (obrigatório por lei) e que se encontra em qualquer veículo popular. Nunca eu poderia imaginar que o Cruze seria o Golf Killer.
  4. Fim da produção Golf Confortline e Highline no Brasil

    A VW "lacrou" as vendas dos Golfs, em 2018, com as seguintes marcas: GOLF (TSI e GTI) = 3.070 unidades e fechou na 88ª posição. GOLF VARIANT vendeu 503 unidades e fechou na 143ª posição. Em 2017 o Golf estava na 74ª posição com 3.955 unidades e o Variant na 122ª posição com 630 unidades. Os anos de glória foram 2013/2014, quando o Golf vendia mais de 16.000 unidades/ano. O Focus, em 2018, vendeu menos ainda que o Golf. O Cruze, quem diria, partindo do valor inicial de R$ 97.790,00, fechou 2018 com 19.831 unidades vendidas (42º no ranking). Fonte: https://www.autoo.com.br/emplacamentos/veiculos-mais-vendidos/2018/
  5. Consumo Golf 1.0 TSI

    Os 4 símbolos mais temidos pela humanidade... Quase tive que providenciar a geriátrica para chegar ao posto de combustível... Em modo normal 16km/L. Em modo “idoso” 22km/L. Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
  6. Sim, isso é fato. A proteção de componentes do Golf MK7 até ajuda a inibir, mas não resolve a questão dos roubos. A VW, na contramão da situação, cobra o olho da cara pelas peças de reposição do MK7. A Honda até tenta abocanhar, porém com a mecânica menos sofisticada consegue-se peças de reposição OEM facilmente no mercado. De qualquer forma, a bandidagem deita e rola com as partes do Civic e do Golf, no Mercado Livre.
  7. O problema em considerar os dados fornecidos através da Fenaseg, é que ele diz respeito apenas ao universo de veículos segurados. Existe uma quantidade bem expressiva de veículos segurados da Honda e Toyota frente à outras marcas. É do perfil dos consumidores das marcas japonesas (salvo os veículos já manolados) manter o seguro, e a cautela na vigência do contrato. No caso dos Golfs a coisa pode mudar radicalmente de figura: Já recebi uma proposta indecorosa, da Porto Seguro, no valor de R$ 14.923,00 para segurar o Golf TSi então tabelado em R$ 63.000,00 pela Fipe. Lembro que em 2013 de tanto ouvir que o Golf era o carro mais roubado no universo (e em toda a galáxia), fiz até uma pesquisa para tentar obter dados estatísticos. Não havia encontrado nenhuma aberração. Segundo dados da SUSEP, o índice de veículos roubados entre o começo de 2010 e o final de 2013 (ano de aquisição do Golf), estava assim: Voyage era o líder, ostentando a marca de 2053 unidades roubadas (de 119.428 segurados). O Civic estava na 22ª posição, com 1359 roubados (de 123.755 segurados). O Golf aparecia na 21ª posição com 313 casos para o universo de 30.825 unidades seguradas. Naquela intervalo de tempo haviam 4 Civics para cada 1 Golf segurado. Atualmente são 5 Civics segurado para cada Golf. Proporcionalmente roubam-se mais Golfs. Porém são tomados 4 Civics em assaltos para cada 1 Golf. O índice atual (nacional) está assim:
  8. Em rodovia? Se a colisão for inevitável, creio que ambos ocupantes vão virar presunto.
  9. Há muita coisa envolvida na dinâmica de acidentes e colisões. Durante o impacto decorrente de colisão, o simples fato do motorista conseguir sair com o veículo mais ou menos deformado não significa absolutamente nada. Para todos os efeitos e cálculos, testes de colisão são realizados a velocidade máxima de 67Km, apenas para se ter uma ideia do risco real aos ocupantes. Aqui lembro que uma Ranger Evoque, cuja massa total pode atingir 3.130KG, terá que lidar com 17 (ou mais vezes) o valor do peso dela própria quando colidida, por exemplo, contra um poste de concreto. Já vi, e não fui apenas uma vez, casos de motoristas que sairam sem um único arranhão do acidente de trânsito, porém, morrendo no hospital por conta de complicação decorrentes de hemorragias internas. Existe um cálculo. que não me lembro agora a sua fórmula, mas que em resumo dá o resultado que suportaria a coluna cervical humana quando submetida à desaceleração física durante o evento de colisão veicular. Sei que é coisa de alguns milésimos de segundo, ainda assim, é situação que "possivelmente" poderia ser evitada com a tecnologia de deformação programada envolvida com os vários níveis de aços e ligas metálicas que compõe as estrutura de veículos mais modernos. Se tamanho fosse realmente documento a chance de sobreviver à queda de avião não seria a mínima possível.
  10. Sendo aprovado no NCAP (europeu) e no IIHS (americano), por mim poderia ser escolha até de veículo de marca Chinesa. Em tempo: A Volvo foi pioneira nos sistemas de proteção de ocupantes é fato, mas não é mais hegemônica no quesito segurança automotiva. A Volvo se faz presente com 5 estrelas em testes de colisão ao redor do mundo, mas os resultados não são melhores nem piores que os alcançados pela VW, Honda, Toyota ou Tesla. Aliás, O multiticolision Break, por exemplo foi uma das inovações da VW, em termos de tecnologia e segurança automotiva, surgida no lançamento do MK7. Por um tempo se cogitou em torná-lo compulsivo em veículos homologados para o território Europeu.
  11. Aí é contigo, né cumpadi! Duvido muito que o seguro do Honda Touring ficasse menos de R$ 5.000,00. No meu perfil de segurado o Touring teria custo praticamente igual ao do GTi. A dica batata para pagar IPVA e seguros baratos é comprar qualquer veículo na linha dos populares. O único detalhe é que se você sofrer uma colisão mais séria, a grana de que tu poupou em uma escolha (meramente avarenta) pagaria bem o caixão e os ritos burocráticos do enterro. Fato da vida real: Colisão entre um Jetta (ou Golf) e um Gol 1.0. Repare que no momento da colisão os airbags do Jetta ou Golf abrem, o pisca-alertas aciona imediatamente, e o veículo ainda consegue parar. Enquanto isso o motorista do Golzinho atingido nem sabia que morreu....
  12. O atendimento da Honda nem compara ao da VW, ao menos no DF. Enquanto que na VW não queriam sequer deixar entrar no Golf, na Honda liberaram o Touring para test drive em menos de 5 minutos. Por experiência pessoal afirmo: Na VW me trataram feito um mendigo, e na Honda como um rei. Mas se você tivesse escolhido o Civic Touring em vez do GTi, ainda mais sabendo que a diferença de valor final entre ambos seria de R$ 1.400,00, eu estaria hoje te presenteando com esse meme aqui:
  13. Parece que a suspensão do Jetta realmente ficou mais macia que a do Civic... Só que....
  14. Bateria - Fim da Vida Útil

    Poxa! Deixa eu alimentar uma teoriazinha conspiratória, vai! Depois que descobri que meu veículo tem um segundo relógio e que (teoricamente) não foi afetado com o desligamento da bateria oficial, duvido é de nada. Depois do escândalo do dieselgate a VW deixou escapar a face obscura das estranhas de sua tecnologia anti-poluição , nada mais, em relação a essa empresa, passa a ser impensável e/ou indiscutível.
  15. Bateria - Fim da Vida Útil

    Daqui 5 meses a bateria comum que equipa o veículo completará os seus 3 anos de uso. O Star-Stop, que não tem utilidade alguma nas vias do DF, é que nunca deu a graça de parar de funcionar. Às vezes fico pensando se a VW não o desenvolveu, propositalmente, para promover o desgaste prematuro da bateria ou do motor de partida. Na minha realidade de trânsito é uma função inútil. Fico puto quando esqueço de desativa-lo. Em tempo: podem desconectar a bateria Do Golf sem medo para realizar a sua substituição. Não há risco algum. Eu é que não confiaria no "zé trocador" fazendo gambiarra no cofre do motor, com o circuito todo trabalhando, por conta de achismos descabidos sobre o funcionamento do veículo. Enviado do meu iPhone usando Tapatalk