Bereba

Members
  • Total de itens

    413
  • Registro em

  • Última visita

  • Days Won

    11

Bereba last won the day on October 6 2017

Bereba had the most liked content!

1 Seguidor

Sobre Bereba

  • Rank
    Advanced Member
  • Data de Nascimento 05/17/75

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    São Paulo - SP

Últimos Visitantes

637 visualizações
  1. VW diz que bateu novo recorde de carros entregues em 2017

    https://wm1.com.br/noticias-rapidas/ranking-dos-carros-mais-vendidos-nos-eua-em-2017 Ranking dos carros mais vendidos nos EUA em 2017 Se no Brasil o Chevrolet Onix domina, nos Estados Unidos quem dita as regras é a Ford F-Series por Redação WM1 WM1 / 05/01/2018 às 13:00 Home Pit-Stop Facebook Twitter LinkedIn Omercado de automóveis dos Estados Unidos é completamente diferente do brasileiro. Enquanto por aqui os chamados carros populares dominam o ranking dos mais vendidos, por lá as ‘picaponas’ ditam as regras. Se em solo ‘Tupiniquim o Chevrolet Onix foi o mais emplacado em 2017 com 188.654 unidades, em terras do ‘Tio Sam’ a Ford F-Series foi a campeã com 896.764 emplacamentos – isso mesmo, uma diferença assustadora de 708.110 veículos! Confira agora o ranking dos dez carros mais vendidos nos EUA em 2017: 1º - Ford F-Séries: 896.764 unidades Ford F-Series F-150 2018 2º - Chevrolet Silverado: 585.864 unidades Chevrolet Chevy Silverado 2017 3º - RAM 1500: 500.723 unidades RAM 1500 2018 4º - Toyota RAV4: 407.549 unidades Toyota RAV4 2018 5º - Nissan Rogue: 403.465 unidades Nissan Rogue 2018 6º - Toyota Camry: 387.081 unidades Toyota Camry 2018 7º - Honda CR-V: 377.895 unidades Honda CR-V 2018 8º - Honda Civic: 377.286 unidades Honda Civic Si 2018 9º - Honda Accord: 322.655 unidades Honda Accord 2018 10º - Toyota Corolla: 329.196 unidades Toyota Corolla
  2. Direção torta (Veículo 0km)

    É que nem mulher, melhor não saber se já foi rodada. Zera o odômetro no casamento e vida nova.
  3. VW diz que bateu novo recorde de carros entregues em 2017

    Segundo a Focus2Move o Golf ficou em terceiro entre os mais vendidos no mundo em 2017: http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/carros/noticia/7105366/carros-mais-vendidos-mundo-longo-2017 Os carros mais vendidos do mundo ao longo de 2017 Mercado automobilístico cresceu quase 4% neste ano SÃO PAULO - O carro mais vendido no mundo em 2017 é o Toyota Corolla, com 930.347 unidades, de acordo com dados da consultoria Focus2Move. No ano, o mercado automobilístico cresceu quase 4% e o maior aumento foi no segmento de SUVs que representam 30% das vendas globais. Em segundo lugar vem o Ford F-Series, com 797.899 unidades vendidas ao longo do ano, seguido pelo Volkswagen Golf, com 712.769 unidades. Confira o ranking com os 20 carros mais vendidos ao longo de 2017: Marca/Modelo Unidades vendidas em 2017 1. Toyota Corolla 930.347 2. Ford F-Series 797.899 3. Volkswagen Golf 664.086 4. Honda Civic 612.316 5. Toyota RAV4 608.211 6. Honda CR-V 577.786 7. Volkswagen Tiguan 508.300 8. Volkswagen Polo 502.830 9. Ford Focus 497.942 10. Toyota Camry 482.396 11. Chevrolet Silverado 476.323 12. Ram Pick-up 456.868 13. Hyundai Tucson 446.859 14. Hyundai Elantra 418.780 15. Volkswagen Jetta 410.238 16. Honda Accord 399.346 17. Volkswagen Lavida 385.388 18. Nissan Qashqai 376.941 19. Wuling Hongguang 369.906 20. Toyota Hilux 362.768
  4. Volkswagen diz que bateu novo recorde de carros entregues em 2017 Empresa não usa o termo 'vendas'. Volume do ano passado foi de 6,2 milhões de carros. Balanço do grupo sai nesta quarta (17). Por G1 16/01/2018 14h04 Atualizado há 16 horas Herbert Diess, chefe da marca Volkswagen, em evento na véspera do Salão de Detroit (Foto: Brendan McDermid/Reuters) Herbert Diess, chefe da marca Volkswagen, em evento na véspera do Salão de Detroit (Foto: Brendan McDermid/Reuters) Herbert Diess, chefe da marca Volkswagen, em evento na véspera do Salão de Detroit (Foto: Brendan McDermid/Reuters) AVolkswagen comemorou, na última segunda-feira (15), um novo recorde de carros entregues - a empresa não usa o termo "vendas". O volume somou 6,23 milhões de unidades no ano passado, 4,2% acima de 2016. O resultado foi puxado pela demanda maior por carros da marca nos Estados Unidos e pelo estratégico mercado chinês. As vendas na Europa caíram. O balanço de todas as marcas do grupo deve ser divulgado nesta quarta (17), mas Audi e Porsche já haviam anunciado recordes nos números de 2017. Esses resultados podem ter levado o grupo a se manter como o campeão de vendas no mundo. Mas ainda falta a Toyota divulgar seus números -- a montadora estimava ter vendido 10,5 milhões de carros entre todas as marcas do grupo. Pós escândalo Ao festejar o bom ano da marca, em discurso no Salão de Detroit, nesta segunda, o "chefão" da marca Volkswagen, Herbert Diess, disse que o segredo é o "ter os produtos certos". Ele também lembrou do escândalo dos motores a diesel, que já fez a companhia gastar mais de US$ 20 bilhões com ações judiciais e consertos. O "dieselgate", no entanto, não atrapalhou as vendas nem em 2015, quando estourou. "Nós decepcionamos vocês", disse Diess, com uma imagem de um Fusca no telão. "Não vou descansar até Volks recuperar a imagem de uma marca confiável, de sucesso, nos EUA." Executivo da VW diz que não vai descansar enquanto não recuperar a imagem confiável
  5. Novo Jetta é revelado em Detroit

    https://motorshow.com.br/novo-volkswagen-jetta-e-revelado-em-detroit/ https://quatrorodas.abril.com.br/noticias/novo-jetta-tem-base-de-golf-e-painel-de-polo/ https://g1.globo.com/carros/salao-de-detroit/2018/noticia/novo-volkswagen-jetta-estreia-na-mesma-plataforma-do-golf-veja-como-ficou.ghtml Novo Volkswagen Jetta é revelado em Detroit Sedã finalmente adota a plataforma MQB e ganha tamanho e novos equipamentos tecnológicos Texto: Evandro Enoshita 15/01/2018 904 Share on Facebook Tweet on Twitter Volkswagen Jetta (Foto: Divulgação) A nova geração do Volkswagen Jetta foi revelada nesta segunda-feira (15), no Salão de Detroit (EUA). O sedã médio cresceu, ganhou novos equipamentos e, assim como Golf e Polo, passa a ser montado sobre a plataforma modular MQB (o atual usa a base PQ35, a mesma do Golf de quinta geração). A nova geração do Jetta estreia no mercado americano até o final do primeiro semestre. De acordo com a Volkswagen, o novo Volkswagen Jetta é mais longo, largo e alto, além de ter entre-eixos alongado em 4 cm (2,69 m ante 2,65 m) em relação ao Jetta atualmente a venda no mercado brasileiro. Pela primeira vez, o Jetta irá contar com equipamentos como o painel digital configurável Volkswagen Digital Cockpit e a central multimídia compatível com Android Auto e Apple CarPlay, além de sistemas como o monitor de pontos cegos, piloto automático adaptativo, alerta de mudança involuntária de faixa e o sistema de frenagem automática de emergência. No conjunto mecânico, a novidade é o câmbio automático de oito marchas, que passa a ser oferecido como opção à transmissão manual de seis marchas. Já o motor disponível no mercado americano é o mesmo 1.4 TSI de 150 cv oferecido no Jetta atual. Volkswagen Jetta 2019 1 de 9 Volkswagen Jetta (Foto: Divulgação) Volkswagen Jetta (Foto: Divulgação) Volkswagen Jetta (Foto: Divulgação) Volkswagen Jetta (Foto: Divulgação) Volkswagen Jetta (Foto: Divulgação) Volkswagen Jetta (Foto: Divulgação) Volkswagen Jetta (Foto: Divulgação) Publicidade Publicidade Novo Jetta tem base de Golf e painel de Polo Sétima geração do sedã foi desenvolvida sobre plataforma modular e chegará ao Brasil ainda este ano Por Rodrigo Ribeiro access_time15 jan 2018, 11h06 - Publicado em 15 jan 2018, 08h41 chat_bubble_outlinemore_horiz A enorme grade do radiador se destaca e ajuda a diferenciar o Jetta dos irmãos de marca (Divulgação/Volkswagen) O visual do novo Volkswagen Jetta já não era segredo, mas os detalhes ainda desconhecidos foram revelados durante a apresentação do modelo um dia antes da abertura oficial do Salão de Detroit, nos Estados Unidos. O sedã agora passa a usar a plataforma modular MQB do novo Polo e Golf. A dupla, aliás, cedeu também um novo painel digital e um motor 1.4 turbo atualizado para chegar aos 150 cv – em outros mercados fora do Brasil, o Jetta anterior não havia passado dos 140 cv. Outra mudança foi a troca do câmbio automático. A caixa Aisin de seis marchas foi substituída por outra, da mesma empresa, mas com oito relações. O novo câmbio é similar ao usado pelo BMW X1 e Mini Cooper. A única opção manual continua a ter seis marchas, mas não deve ser oferecida por aqui. A VW do Brasil não comenta sobre a vinda do novo Jetta ao país, mas é certo que o sedã chegará ainda este ano, logo após os novos Tiguan e Golf. A ideia era dar nova identidade ao Jetta, mas as lanternas acabaram ficando ainda mais parecidas às do Virtus (Divulgação) A nova plataforma permitiu ao Jetta crescer 3,3 cm, chegando a 2, 68 m de entre-eixos. A medida ainda é inferior aos líderes do segmento Honda Civic e Toyota Corolla, mas afastou a novidade do Virtus. A base estrutural mais moderna também abriu caminho para a adoção de uma nova arquitetura eletrônica. As versões mais caras terão quadro de instrumentos digital e o novo sistema multimídia já usado no Virtus (Divulgação/Volkswagen) Entre-eixos ampliado deixou o Jetta mais próximo de Civic e Corolla (Divulgação/Volkswagen) Na prática, isso possibilitou ao Jetta receber os mesmos equipamentos presentes no Polo e Golf. Entre os itens disponíveis nos EUA há conexão com a internet, controlador de velocidade adaptativo com frenagem autônoma de emergência, alerta de veículo no ponto cego, assistente de manutenção de faixa e freios automáticos pós-colisão. Quer saber como será o Jetta vendido aqui? Só imagina-lo sem os indicadores de direção âmbar (obrigatórios nos EUA) (Divulgação/Volkswagen) Torcida contra a torção Uma novidade para os norte-americanos é que o Jetta volta a ter suspensão por eixo de torção na traseira. A arquitetura mais simples substituirá, ao menos na versão 1.4, o conjunto multibraço – mais moderno, mas também mais caro. Pelo menos o modelo ganhou freio de estacionamento elétrico, ainda que isso não impeça a VW de fazer uma variação sem o sistema para o mercado nacional. Aplique no para-lamas dianteiro já é usado no Polo. O para-choque traseiro ganhou apliques para simular uma saída de escape dupla (Divulgação/Volkswagen) A dianteira do novo Jetta adota uma leitura mais conservadora das linhas presentes no Arteon. A enorme grade trapezoidal foge do padrão da marca, o que pode ser um ponto positivo para quem acha que os modelos da VW estão cada vez mais parecidos entre si. As lanternas traseiras continuam bipartidas, mas ficaram mais afiladas na porção central. Iluminação em LED da cabine pode mudar de cor (Divulgação/Volkswagen) O interior retilíneo oferece, nas versões mais caras, o novo sistema multimídia da Volkswagen, composto por duas grandes telas de LCD. A que fica no quadro de instrumentos, inclusive, pode mostrar o mapa do GPS integralmente, ao contrário da tela usada nos Audi. A cabine ganhou materiais mais refinados e com maior qualidade aparente, aproximando o novo Jetta de seus rivais japoneses. Veja também NotíciasAdeus, DSG: novo Volkswagen Jetta terá câmbio de oito marchasquery_builder14 dez 2017 - 16h12 NotíciasÀ espera do Virtus, Volkswagen declara a morte do Jetta Trendline query_builder22 nov 2017 - 18h11 NotíciasVW confirma sucessor do Gol e versões GTS de Polo e Virtusquery_builder5 dez 2017 - 11h12 A Volkswagen não comentou sobre outras opções de motorizações, mas especula-se que a opção topo de linha do Jetta perderá o 2.0 turbo de 211 cv usado também no Golf GTI. Em seu lugar, a VW usaria outro 2.0, de 190 cv, que já equipa os novos Tiguan e Audi A4. A troca visa abrir mão de parte da performance em troca de maior economia de combustível. Novo Volkswagen Jetta estreia na mesma plataforma do Golf; veja como ficou Feito pela primeira vez sobre a mesma plataforma do Golf, novo Jetta estreia no Salão de Detroit. Por G1 15/01/2018 08h46 Atualizado há 3 horas Novo Volkswagen Jetta estreia em Detroit (Foto: Brendan McDermid/Reuters) A Volkswagen mostrou na noite do domingo (14) nos Estados Unidos a sétima geração do Jetta, que será feito pela primeira vez sobre a plataforma MQB, a mesma de Golf e Tiguan. De acordo com a fabricante, a mudança na estrutura do sedã trará ganhos como melhoria na dinâmica e no espaço interno, assim como uma modernização para o mundo digital. A novidade apareceu em uma prévia do Salão de Detroit e começará a ser vendida nos EUA ainda neste ano. A expectativa é que chegue ao Brasil no final de 2018 ou só no próximo ano. Jetta será feito sobre a mesma plataforma do Golf (Foto: Brendan McDermid/Reuters) Sedã maior Com a chegada do Virtus, o Jetta cresceu de tamanho na nova geração, com um ganho de 4,3 cm no comprimento (para 4,70 metros) e 3,5 cm na distância entre-eixos (para 2,68 m), aproximando-se mais do Passat. A frente encurtou e a traseira aumentou, o que deixou o modelo com um visual mais esportivo. Na largura, ele ficou 2,1 cm maior (1,79 m). No entanto, o porta-malas foi mantido em 510 litros - menor que o Virtus, com 521 litros. Novo Volkswagen Jetta (Foto: Jim Watson/AFP) Motorização igual Pelo menos nos EUA, o Jetta manterá o mesmo motor 1.4 turbo, com 150 cavalos de potência em todas as versões, que podem ser equipadas com câmbio manual de 6 marchas ou automático de 8 velocidades. Interior do novo Volkswagen Jetta (Foto: Jim Watson/AFP)
  6. Segredos automotivos Resumão Com essas informações, veja como vai ficar a linha de modelos da Volkswagen -- que tem como principal objetivo, finalmente, recolocar a marca no topo do ranking de vendas: + CUV A0: é o "mini-SUV" que chegará como substituto do CrossFox; trata-se, de fato, de um CUV (abreviação em inglês para "utilitário crossover"). Na imagem ele aparece descrito como "A0", ou seja, derivado da plataforma do Polo, muito provavelmente com o mesmo entre-eixos do próprio hatch: 2,56 metros. Deve chegar entre 2019 e 2020. + T-Cross: SUV compacto confirmado para o Brasil. Já roda em testes há meses usando a carroceria de uma Golf Variant como mula, mas em breve deve começar a ser visto em sua carroceria final (ainda que em forma de pré-série, ou seja, unidades montadas à mão e fora da linha de produção). Começa a ser produzido em 1º de janeiro de 2019, terá entre-eixos do Virtus (2,65 metros) e vai brigar diretamente com Honda HR-V. + Saveiro NF: a sigla vem de "Nova Família" ("NF", no slide), que deve ser a citada picape derivada da mesma plataforma MQB A0 do Polo. Pode manter o nome atual e vai ganhar em espaço (porte será similar ao da Renault Duster Oroch) e equipamentos ao usar a base do Polo. + Gol e Voyage AQ: é a primeira de um total de duas atualizações programadas para a família Gol. Esta, em específico, sob a abreviação "AQ", se refere à substituição da caixa de câmbio automatizada I-Motion por uma da família Aisin AQ Tiptronic, automática de seis marchas -- que também equipa o Polo TSI. Deve pintar no segundo semestre deste ano. + A00 (sucessor do Gol): a segunda mudança no Gol é mais interessante, porque representa uma troca de geração, com chances de ser acontecer em 2020. Repare que o projeto é tratado como "sucessor", indicando que talvez o nome não seja mantido (embora em recente entrevista a UOL Carros o chefão global da marca, Herbert Diess, tenha dado todos os indícios de que o nome perdura). Terá dimensões menores que as do Polo (entre-eixos pouco acima de 2,50 metros) e servirá como carro de entrada da marca. Pode usar o nome up! para mantê-lo vivo ou matar de vez o subcompacto por aqui. + Fox Connect e Xtreme: simplificação da gama do Fox, programada já para este ano, até sua inevitável aposentadoria e substituição pelo mini-SUV "CUV A0". Ambas terão motor 1.6 MSI, porém com "pegadas" distintas: urbana (Connect) ou aventureira (Xtreme). + Polo e Virtus GTS: versões de caráter esportivo da dupla, preparadas para surgir entre este ano e 2019. Motorização ainda é mistério: a Volkswagen vai aproveitar o propulsor 1.0 TSI de 128 cv das versões "civis" mais caras ou vai ousar e colocar no cofre o 1.4 TSI de 150 cv? Fica a expectativa. + Golf PA: reestilização da atual geração do Golf, que deve ser lançada ainda neste primeiro semestre e continua a ser produzida em São José dos Pinhais (PR), desfazendo os rumores de que voltaria a ser comercializado no Brasil como importado.+ Golf Variant: facelift da atual geração da perua do Golf, que deve acontecer este ano. A Golf Variant, no entanto, deve seguir sendo importada do México -- não há planos para produção nacional por conta das vendas irrisórias. + Tarek: será o tão aguardado SUV médio para rivalizar com o Jeep Compass. Ele se chamará Tarek, e não Tharu, e será feito na Argentina, chegando de fato por aqui em 2020. "Tarek" é uma derivação de um nome árabe, Tarik, que significa "estrela vespertina". + Tiguan: também será lançado este ano, importado do México na configuração para sete pessoas. Ficará posicionado acima de T-Cross e Tarek, com 2,71 metros de entre-eixos. O Tiguan atual, importado da Alemanha, vai continuar vindo em pequenos lotes até a chegada do Tarek, e não deste novo Tiguan, que poderá receber o mesmo sobrenome que usa lá fora: "Allspace". + Amarok: picape média vai continuar sendo produzida na Argentina, incluindo as novas versões com motor V6 turbodiesel. O slide não faz qualquer menção a uma possível troca de geração do modelo, cuja base atual é de 2010. + Jetta NF: nova geração do sedã médio será apresentada na semana que vem durante o Salão de Detroit (e também poderá ser um dos destaques da marca no Salão de SP, no final deste ano) e importada do México, assim como a atual. Deve estrear por aqui somente em 2019. + Passat PA: atualização de meia-vida da atual geração do tecnológico sedã grande, que é importado da Europa e possui volume de vendas bastante baixo no Brasil. + Atlas: está confirmado para a Argentina por ter mercado naquele país. É cogitado para o Brasil, fato que praticamente encerraria a vida do mais refinado e poderoso Touareg por aqui. https://carros.uol.com.br/noticias/redacao/2018/01/12/vw-t-cross-ja-tem-data-para-surgir-e-marca-pode-trocar-touareg-por-atlas.htm
  7. Retrovisor interno golf tsi (urgente)

    Leve à Concessionária mais próxima.
  8. http://carsale.uol.com.br/2017/12/29/volkswagen-golf-e-o-carro-mais-vendido-da-europa-pelo-43o-ano-consecutivo Volkswagen Golf é o carro mais vendido da Europa pelo 43º ano consecutivo Enquanto o Chevrolet Onix termina 2017 como o carro mais vendido na América Latina, o Volkswagen Golf mantém a liderança do mercado europeu pelo 43º ano consecutivo. Segundo a consultoria automotiva Focus2Move, o modelo teve mais de meio milhão de unidades comercializadas no continente entre janeiro e novembro, apesar da queda de 3,9% nas vendas em relação ao mesmo período de 2016. A segunda posição do ranking ficou com o Renault Clio (337.868 unidades), que registrou aumento de 9,2% nas vendas em 2017. O Volkswagen Polo (279.491 unidades) caiu para a terceira colocação por conta da queda de 10,4%. Com um aumento de 6,7% nas vendas em comparação com os primeiros onze meses de 2016, o Nissan Qashqai subiu da oitava para a quarta posição. Com 248.737 unidades comercializadas, o modelo é o SUV mais vendido na Europa em 2017.
  9. Mensagem no painel - Ignição ligada

    Talvez seja alguma diferença na versão do software ou algum defeito mesmo.
  10. Mensagem no painel - Ignição ligada

    Eu ando na maior parte do tempo no modo Eco, e o carro sempre desliga sozinho qdo coloco a alavanca em P. E qdo uso o modo Normal, sempre tenho que desligar no Botão. Já virou automático pra mim, estacionar o carro, sair e trancar direto, sem precisar fazer mais nada. Vezes e outra já tentei trancar o carro e ele não trancava, daí e que eu via que ele ainda estava ligado...
  11. Mensagem no painel - Ignição ligada

    Sim, qdo está no Eco desliga sozinho, mas qdo está no Normal não.
  12. Mensagem no painel - Ignição ligada

    No meu quando está em Normal tenho que desligar o carro no botão.
  13. Mensagem no painel - Ignição ligada

    Não é diferença na configuração do Perfil de Condução. O seu está em Eco e o dele no Normal?