sergioty

Carbonização haste válvula Tsi

Recommended Posts

Um problema que me preocupa no meu Golf Tsi é a carbonização das sedes/topo das válvulas, segue alguns links do YouTube sobre o assunto. Nos motores a carburador ou injeção indireta o combustível acaba lavando/limpando a sede das válvulas, porém nos Tsi com apenas injeção direta não tem esse mecanismo de limpeza e a carbonização pode acaba travando as válvulas. A Ford recentemente patenteou a combinação de uma pequena injeção indireta com o objetivo de fazer exatamente está limpeza nos motores com injeção direta. Creio que o Golf Gti tem também injeção indireta além da direta. O aditivo no combustível não adianta pois ele não passa pela hastes das válvulas na injeção direta. Meu golf está chegando nos 60mil, fico na dúvida se preciso fazer limpeza. Como acontece com carros mais rodados, é comum Audi’s, Passats é Tiguan, apresentarem este problema. Provavelmente já deve acontecer com alguns Golfs.

 

 

 

 

Enviado do meu iPhone usando Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Um problema que me preocupa no meu Golf Tsi é a carbonização das sedes/topo das válvulas, segue alguns links do YouTube sobre o assunto. Nos motores a carburador ou injeção indireta o combustível acaba lavando/limpando a sede das válvulas, porém nos Tsi com apenas injeção direta não tem esse mecanismo de limpeza e a carbonização pode acaba travando as válvulas. A Ford recentemente patenteou a combinação de uma pequena injeção indireta com o objetivo de fazer exatamente está limpeza nos motores com injeção direta. Creio que o Golf Gti tem também injeção indireta além da direta. O aditivo no combustível não adianta pois ele não passa pela hastes das válvulas na injeção direta. Meu golf está chegando nos 60mil, fico na dúvida se preciso fazer limpeza. Como acontece com carros mais rodados, é comum Audi’s, Passats é Tiguan, apresentarem este problema. Provavelmente já deve acontecer com alguns Golfs.
 

[/url]

 
 
 
Enviado do meu iPhone usando Tapatalk

Cara, esse problema de carbonização é comum em todos os carros com injeção direta. Não é exclusivo dos motores do Grupo VW. É um problema relacionado com as válvulas PCV e EGR.
O Golf GTI tem injeção direta e indireta, único e exclusivamente por concepção de projeto, o que acaba minimizando esse problema ou até evitando.
Não se apavore, pois não soube de nenhum TSI de Golf com válvulas travadas. Carbonizou? Faça uma limpeza, não é nenhum bicho de 7 cabeças, só é necessário retirar o coletor de admissão. Existe um método muito eficiente com a utilização de partículas de castanha.
Use gasolina de boa qualidade e o óleo lubrificante com a mesmas preocupação, obedecendo os períodos de troca. Trate o bichinho com carinho, que você vai rodar dezenas de milhares de quilômetros sem esse problema.

Enviado de meu SM-A520F usando o Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sim, é um problema comum dos carros com injeção direta, a minha dúvida maior é se preciso ou não fazer a limpeza, visto que não aparece como item de manutenção da VW. Pensei até desconectar tubo de vapor do óleo lubrificante, que são injetados,no coletor de admissão para minimizar este problema, fechando a entrada do coletor. Não sei se há algum efeito colateral.

 

 

Enviado do meu iPhone usando Tapatalk

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Sim, é um problema comum dos carros com injeção direta, a minha dúvida maior é se preciso ou não fazer a limpeza, visto que não aparece como item de manutenção da VW. Pensei até desconectar tubo de vapor do óleo lubrificante, que são injetados,no coletor de admissão para minimizar este problema, fechando a entrada do coletor. Não sei se há algum efeito colateral.

 

 

Enviado do meu iPhone usando Tapatalk

 

Isso não aparece como item de manutenção em nenhuma montadora, pois não é algo certo ou previsível de acontecer em uma determinada quilometragem ou tempo, uma vez que tem muitas variáveis e condições envolvidas influenciando. Posso citar como exemplo, tipo de utilização do carro, como uso de reboque (esforço do motor com rotações mais elevadas), trajetos curtos com motor frio, trânsito intenso, condições climáticas da região, características e qualidade do óleo ou mesmo do combustível. São condições que podem produzir mais ou menos vapores no cárter, que serão injetado nas câmaras de combustão através das válvulas.

 

Pode se fazer uma verificação, mas para isso terá que retirar o sistema de admissão até ter acesso visual às válvulas de admissão. Não sei se seria possível a utilização de um boroscopio checando as válvulas, pelo coletor de admissão.

 

Para mudar as características desse sistema tem que estar muito bem embasado tecnicamente. Em parte ele existe para diminuir a poluição ambiental. Mas ao mesmo tempo ele existe também para equalizar a pressão no cárter gerada pela formação de vapores, que se não for controlado da forma correta poderá causar danos ao motor.

 

Enfim, é a infeliz surpresa do injeção direta!

 

Enviado de meu SM-A520F usando o Tapatalk

 

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Provavelmente não funciona pois o perfectclean é adicionado ao combustível. A carbonização da haste das válvulas ocorre pois nos motores com injeção direta no cilindro o combustível não passa nas haste da valvula, assim não existe o efeito de "lavagem", que ocorre na injeção Indireta. A Ford anunciou há algum tempo que os novos motores com injeção direta teriam também injeção Indireta para promover a "lavagem" das hastes das valvular para resolver este problema cronico dos motores injeção direta.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Talvez evite formar a carbonização caso se use continuamente, mas não promoveria a limpeza caso a carbonização já estiver estabelecida. Da mesma forma que a gasolina aditivada ou o etanol também evitam a carbonização em baixas quilometragens.
Como disseram acima o maior vilão é o vapor de óleo contaminado e a fonte de contaminação do óleo geralmente é uso do carro em curtas distâncias e uso de gasolina de baixa qualidade ou adulterada.
O fato é que todos os motores com injeção direta vão sofrer de carbonização nas válvulas de admissão. O que muda é o tempo ou km que isso vai se manifestar. Via de regra uma inspeção a cada 60 ou 70 mil km pode ajudar a detectar se está ou não na hora da limpeza mecânica (que não é nenhum bicho de 7 cabeças). Desconfie de soluções mágicas como aditivos ou limpadores, pois a eficácia é bem baixa...

Enviado de meu SM-G9600 usando o Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu nunca fiz a descarbonização em nenhum dos meus veículos. Meu parâmetro de funcionamento adequado do Golf é consumo de combustível e a resposta do motor. 7 anos, e 200.000Km de trabalho, ele ainda consegue atingir 22KM/L em alguns trajetos e ainda puxa com vontade. Não sei se esse é um parâmetro correto para mensurar o nível de carbonização, mas é assim que tenho feito nos últimos 10 anos. Lembro que a 4 Rodas detectou certo no nível de carbonização, no pé das válvulas do motor do Golf (teste de longa duração), ao desmontarem-no aos 60.000Km. O restante da mídia fez um alarde exagerado na época.

gNf4DxX.png

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, sergioty disse:

Provavelmente não funciona pois o perfectclean é adicionado ao combustível. A carbonização da haste das válvulas ocorre pois nos motores com injeção direta no cilindro o combustível não passa nas haste da valvula, assim não existe o efeito de "lavagem", que ocorre na injeção Indireta. A Ford anunciou há algum tempo que os novos motores com injeção direta teriam também injeção Indireta para promover a "lavagem" das hastes das valvular para resolver este problema cronico dos motores injeção direta.

A geração atual do motor 2.0 TSI também tem essa tecnologia. São dois bicos por cilindro, sendo um de injeção direta e outro no coletor de admissão. Se não me engano, o novo Corolla também. Deve ser uma tendência daqui para frente, para eliminar esse problema da carbonização, e também ajuda a economizar combustível, pois cada tipo de injeção é mais eficiente que o outro em diferentes faixas de carga/rotação.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
A geração atual do motor 2.0 TSI também tem essa tecnologia. São dois bicos por cilindro, sendo um de injeção direta e outro no coletor de admissão. Se não me engano, o novo Corolla também. Deve ser uma tendência daqui para frente, para eliminar esse problema da carbonização, e também ajuda a economizar combustível, pois cada tipo de injeção é mais eficiente que o outro em diferentes faixas de carga/rotação.
Creio que quando a VW resolveu adotar a injeção direta e indireta num mesmo motor, como no GTI, a intensão não era resolver o problema da carbonizacao e sim dar melhor eficiência ao motor. Creio que à época do lançamento desse motor a carbinização ainda não era algo tão evidente.
Entre um projeto e a materialização de uma tecnologia, se passa um longo tempo entre testes, acertos e aprovação do produto final.

Enviado de meu SM-A520F usando o Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
4 horas atrás, Jorge Jox disse:

Creio que quando a VW resolveu adotar a injeção direta e indireta num mesmo motor, como no GTI, a intensão não era resolver o problema da carbonizacao e sim dar melhor eficiência ao motor. Creio que à época do lançamento desse motor a carbinização ainda não era algo tão evidente.
Entre um projeto e a materialização de uma tecnologia, se passa um longo tempo entre testes, acertos e aprovação do produto final.

Enviado de meu SM-A520F usando o Tapatalk
 

Talvez tenha sido isso mesmo. De todo modo, deve evitar o problema nesses motores novos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
6 horas atrás, Jorge Jox disse:
Está funcionando sem alteração? Faça somente a substituições dos componentes de manutenção preventiva dentro dos prazos e só. [/url] 

 

 

O que está faltando é alguém explicar porque diabos esse motor não fica ruim, se ele, obrigatoriamente, está carbonizado devido a alta quilometragem....

Depois de um dia de atendimentos, ainda ficou na casa dos 19km/L. Claro, rodando dentro do DF, onde qualquer ali é 40km/50km de distância, e o trânsito flui de forma correta.

Enviado do meu iPhone usando Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

No video no início do post o mecânico informa como causa do defeito o travamento da válvula devido ao excesso de carbonização na haste. Pode ser que o acúmulo de carbonização depende também da forma de condução do carro. Por exemplo, quem pega estrada, a vibração em alta rotação pode gerar algum tipo de “limpeza”.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
No video no início do post o mecânico informa como causa do defeito o travamento da válvula devido ao excesso de carbonização na haste. Pode ser que o acúmulo de carbonização depende também da forma de condução do carro. Por exemplo, quem pega estrada, a vibração em alta rotação pode gerar algum tipo de “limpeza”.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
sergioty, vibração do motor na estrada limpar as válvulas?
Essa eu acho que o mecânico se empolgou.

Fugindo um pouco do assunto...
Todo motor de combustão interna, seja ciclos otto, diesel, atkinson, enfim, pistões e explosões, tem níveis de vibração que variam de acordo com a rotação e a carga aplicada no acelerador. Muitas vezes essa variação não é linear e nem proporcional com a rotação do motor.
O objetivo de todo o projetista é eliminar ao máximo a vibração de um motor, pois ela não tem nada de bom, só tem coisa ruim, faz um monte de estragos. Alguns motores chegam a ter eixo de massa excêntrico justamente para minimizá-las.
Não sei a sua idade e se você lembra dos motores MD270 e os AP da VW. Muito usado nos Passat brasileiro dos anos 80/90. O AP veio para substituir o MD270 e uma das diferenças entre eles era o comprimento da biela, que ficou maior. Essa biela mais longa trouxe de cara duas vantagens: melhor aproveitamento do momento motor e diminuição da vibração.

Desculpa, fugi do assunto, vamos voltar.
Acredito que carbonização das válvulas esteja mais ligada a característica do óleo lubrificante utilizado, regime de utilização do motor e as funcionalidades das válvulas EGR e PCV. Pode ser também problemas nos retentores das válvulas de admissão.

Enviado de meu SM-A520F usando o Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Uma das causas apontadas para carbonização seria os vapores de óleo que passam pela válvulas, visto que não há passagem de combustível nas haste das válvulas para criar tal resíduo. Imagino que a produção de vapores de óleo seja constante com o tempo, em função da temperatura, assim se o motor fica muito tempo em marcha lenta no anda e para das cidades grandes cidades a concentração de vapores de óleo seja maior em relação a um carro que pega menos trânsito ou roda em estradas, visto que entra muito mais ar nos motores para um mesmo volume de óleo evaporado, diluindo os vapores. As válvulas vibram durante a detonação pois a pancada é forte. Imagino que um processo onde há menor concentração de vapores de óleo e maior vibração (rotações por minuto) possa ter alguma contribuição, visto que o carbono formado precisa de uma adesão mecânica na superfície, mas é apenas uma chute. Popularmente dizem que é bom rodar na estrada para “descarbonizar” o motor.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O canal de Youtube HumbleMechanic tem diversos videos sobre VW e em um ele mostra a carbonização nas válvulas após 10 mil milhas rodadas no Golf R amarelo dele, curioso ver que aparentemente os EA888 gen3 dos EUA não tem a injeção indireta adicional.  Interessante ver que mesmo usando gasolina premium o motor apresentou um pouco de carbonização...


Já no canal do Amigos por Carros tem um video mostrando um pouco de um Jetta TSI que não teve tanto carinho durante a vida e chegou na oficina pra fazer uma geral perto dos seus 100 mil km, onde frisam que usou gasolina comum.  Em algumas cenas se vê que tem bastante carbonização, citam que querem mostrar a diferença com outro carro que rodou 50 mil km somente na Podium, não sei se o tipo de gasolina faria tanta diferença em relação a esse problema específico...


Carbonização em motores com injeção direta não parece ter uma solução definitiva, é mais uma coisa tipo "quando vai acontecer" do que "será que vai acontecer"...

Me parece que o problema é bem comum nos 2.0 mas nos 1.4 TSI não vejo comentários de carbonização do motor.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, edsonmassao disse:

O canal de Youtube HumbleMechanic tem diversos videos sobre VW e em um ele mostra a carbonização nas válvulas após 10 mil milhas rodadas no Golf R amarelo dele, curioso ver que aparentemente os EA888 gen3 dos EUA não tem a injeção indireta adicional.  Interessante ver que mesmo usando gasolina premium o motor apresentou um pouco de carbonização...


Já no canal do Amigos por Carros tem um video mostrando um pouco de um Jetta TSI que não teve tanto carinho durante a vida e chegou na oficina pra fazer uma geral perto dos seus 100 mil km, onde frisam que usou gasolina comum.  Em algumas cenas se vê que tem bastante carbonização, citam que querem mostrar a diferença com outro carro que rodou 50 mil km somente na Podium, não sei se o tipo de gasolina faria tanta diferença em relação a esse problema específico...


Carbonização em motores com injeção direta não parece ter uma solução definitiva, é mais uma coisa tipo "quando vai acontecer" do que "será que vai acontecer"...

Me parece que o problema é bem comum nos 2.0 mas nos 1.4 TSI não vejo comentários de carbonização do motor.

Carbonização acontece com mais frequência nos motores de primeira e segunda geração, aqui no Brasil todos dessas gerações são 2.0 (Jetta, Fusca, A3 8P, etc.)

Nos de terceira geração que equipam os 1.4 e 1.8TSI/TFSI e GTI é bem menos recorrente mas ainda assim existe, de fato qualquer motor movido a gasolina e diesel está sujeito a isso.
 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Uma das causas apontadas para carbonização seria os vapores de óleo que passam pela válvulas, visto que não há passagem de combustível nas haste das válvulas para criar tal resíduo. Imagino que a produção de vapores de óleo seja constante com o tempo, em função da temperatura, assim se o motor fica muito tempo em marcha lenta no anda e para das cidades grandes cidades a concentração de vapores de óleo seja maior em relação a um carro que pega menos trânsito ou roda em estradas, visto que entra muito mais ar nos motores para um mesmo volume de óleo evaporado, diluindo os vapores. As válvulas vibram durante a detonação pois a pancada é forte. Imagino que um processo onde há menor concentração de vapores de óleo e maior vibração (rotações por minuto) possa ter alguma contribuição, visto que o carbono formado precisa de uma adesão mecânica na superfície, mas é apenas uma chute. Popularmente dizem que é bom rodar na estrada para “descarbonizar” o motor. 

 

Enviado do meu iPhone usando Tapatalk

 

A respeito da carbonizacao dentro da câmara de combustão, acredito fielmente que a qualidade da gasolina tenha influência. Quanto a carbonização nas sedes e nos entornos externos das válvulas de admissão, creio na culpa em vários pontos de origem: lubrificante do motor, retentores das válvulas e funcionamento da PCV e EGR.

 

Enviado de meu SM-A520F usando o Tapatalk

 

 

 

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Hoje resolvi aproveitar o feriado em SP e estou na oficina do meu sobrinho fazendo a descarbonização das válvulas.
Seguem fotos do estado atual das válvulas de admissão. Depois mostro como ficou após a limpeza. Vai ser o dia inteiro aqui...
Golf Comfortline 1.0 3 cilindros TSI flex 17/17 com 74 mil km. Na ordem das fotos: cilindro 1, 2 e 3.
70a5a8939be5c3b2a4bda0a6b2b2cb7c.jpgb9968958a347f741c5ddf1cbd8f1c9d5.jpgeba18f8dd4f898f3c846cecf67ed94cc.jpg

Enviado de meu SM-G9600 usando o Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...